O Jornal Rascunho mira a sustentabilidade. Vamos apoiar?

Uma das poucas revistas no Brasil que tem qualidades inestimáveis, como qualidade, credibilidade e projeto gráfico. O jornal Rascunho, criado e tocado por Rogério Pereira deve sobreviver. Vamos apoiá-lo. Ouça a coluna de Afonso Borges, no Mondolivro, da Rádio Band News Belo Horizonte. Só teclar AQUI.

Anúncios

Leia. Seja – a nova campanha de incentivo à leitura

Amigos, os anos passam e já vi campanhas e campanhas de incentivo à leitura serem veiculadas. A mais recente é a do Itaú e teve excelente repercussão. Agora o SNEL – Sindicato Nacional dos Editores de Livros – presidido pelo bom Marcos Pereira, que traz da Editora Sextante a sua experiência de 35 anos em livros. Vale lembrar que que ele tem só 54 anos e é filho do inesquecível Geraldo Jordão Pereira.

Lançou na Bienal do Livro do Rio de Janeiro a excelente campanha institucional “Leia. Seja”, criada pela WMcCann, de Washington Olivetto, um amigo dos livros desde muito. Foi um dos primeiros convidados do Sempre um Papo e traz consigo uma bagagem literária imensa, incorporada em sua vida e prestígio. Ouçam aqui a minha coluna “Mondolivro” na Rádio BandNews Belo Horizonte. Só teclar AQUI.

E no Facebook algumas imagens e vídeos. Colaborem, divulguem. É por aí que vamos mudar o mundo: com a leitura.

Celso Adolfo volta aos palcos, sob o signo de “Sagarana”, de Guimarães Rosa

Em sessão única, Celso Adolfo apresenta o show “Música e Letra para Sagarana”, no dia 04/09, 6a-feira, no Teatro de Bolso do Sesiminas. Mais informações, teclem AQUI.

Neste Mondolivro, falo um pouco do bom trabalho de reescritura e composição, sob a inspiração de “Sagarana”, de Guimarães Rosa, executado por Celso Adolfo. É brilhante, lindo. Como tudo que Celso faz. Ouçam, só teclar AQUI.

Na história do Maletta, 5 décadas de pequenas revoluções

Você já sentiu medo de conversar sobre qualquer assunto em um bar? Na época da ditadura militar, isso era a regra. Mas no Edifício Maletta, no centro de Belo Horizonte, a história era diferente. Ali era um oásis cultural, onde escritores, cineastas, atores, músicos, bailarinos e toda sorte da área cultural se encontrava, nas décadas de 60, 70 e 80 para tramar uma provável revolução, ou derrubada dos militares ou apenas uma música, um livro, um filme. A Livraria Eldorado de frente pra Cantina do Lucas, o Lua Nova, Pelicano e, nos arredores, a redação do jornal Estado de Minas e Diário da Tarde, o Suplemente Literário, o Salloon, o cine Palladium, o cine Metrópole, a Faculdade de Direito, na Praça Afonso Arinos… um raro caso de confluência de todas as artes, profissões, sentidos e ações.

Nos tempos atuais, a Rua da Literatura ainda não saiu, mas as livrarias Ouvidor, Quixote e Scriptum continuam fazendo o melhor do sábado de manhã, na Savassi. Uma pena que a Belotur, e o poder público não prestam a mínima atenção nisso….

A dica de livro vai para o recém-lançado “Um Longo Caminho Para Esquecer”, de Adalberto Luiz, editado pela novíssima “Casa Editorial Quixote – Dô”.

Ouçam o bom bate-papo de Afonso Borges, Luciana Vianna e Ike Yagelovic. Só teclar AQUI.

O Memorial da Democracia, um genial Portal da história brasileira

Está no ar o Memorial da Democracia, um espaço incrível de consulta sobre a memória brasileira. Em uma plataforma multimídia, é uma verdadeira aula de história, contada como se deve ser: com investigação minuciosa e especializada, feita pela equipe irretocável do Projeto República, liderada por Heloisa Starling. 

A segunda etapa do Projeto será lançada no dia 10 de julho, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, com a presença do ex-presidente Lula e do Governador Fernando Pimentel.

Ouçam o Mondolivro, com Afonso Borges, na Rádio BandNews  Belo Horizonte, que teve a participação de Luciana Viana, Heverton Guimarães e Ike Yagelovic. Só teclar AQUI.

E a dica de livro é “Brasil: Uma Democracia”, de Lilia Moritz Schwarcz e Heloísa Starling

 

 

 

Papa Francisco vai reparar injustiça contra Boff

O Papa Francisco vai convocar Leonardo Boff ao Vaticano para promover o que ele considera uma “reparação” à perseguição sofrida pelo teólogo brasileiro. Perseguição esta que o fez sentar na cadeira na qual Giordano Bruno e tantos outros hereges, na época da Inquisição, estiveram para se submeterem a um interrogatório que terminava, quase sempre, na fogueira. Boff ali sentou-se para dar esclarecimentos sobre a Teologia da Libertação, da qual ele é um dos ideólogos. Nossa sorte é que o querido ex-Frei não foi queimado – mas forçado a largar a batina, em 1991. Ouçam Afonso Borges na Rádio BandNews Belo Horizonte, teclando AQUI.

 

Poeta mineiro impedido de embarcar pela LATAM

A triste história do escritor Pedro Muriel Bertolini, que foi impedido de embarcar pela Latam, de Confins para Recife, onde lançaria o seu livro “Proezia”. Ouçam o comentário de Afonso Borges.

E a dica de hoje vai para o livro de Alexandre Staut, “Paris-Brest – Memórias de Viagem e Receitas Deliciosas de um Brasileiro Pelas Cozinhas da França”.