Francelino Pereira: Morre um Leitor

Morre um leitor. Na minha imaginação, Francelino Pereira ia gostar desta manchete nos jornais, no dia de hoje. Um dia ele me disse que uma das primeiras coisas que fez, ao chegar a Belo Horizonte, em 1944, vindo do Piauí, foi fazer uma ficha na Biblioteca da Faculdade de Direito da UFMG, conhecida por sua excelência, onde se formou Bacharel. Em 54, foi inaugurada a primeira biblioteca da cidade, na Rua Saturnino de Brito, onde ele frequentava. E data de 1964 a sua ficha de inscrição na atual Biblioteca Pública Estadual, na Praça da Liberdade. Ele era um leitor contumaz. Por décadas, tinha por hábito pegar livros emprestados ali. Chegava a pegar um livro por semana, uma vez me contou uma funcionária. Uma de suas alegrias foi a eleição para a Academia Mineira de Letras.

A literatura sempre teve relevo em sua vida. Era capaz de citar trechos de Guimarães Rosa, e outros autores, de cor. Uma das frases do mineiro de Cordisburgo que ele mais gostava era esta:  “Uma coisa é por idéias arranjadas; outra é lidar com país de pessoas, de carne e sangue, de mil-e-tantas misérias… De sorte que carece de se escolher”. Quando Governador, promoveu a compra do casarão onde viveu e morreu o poeta Alphonsus de Guimaraens e ali inaugurou, em 1984, o Museu que leva seu nome. Fez publicar diversos livros, entre eles, “Pedro Aleixo, a Visão de um Estadista da República”, “Ressurreição do Cinema Brasileiro”, “Mundo, Vasto Mundo”, “Minas: História e Cultura”, “Gilberto Freyre: o Reinventor da História”, “Museu Mineiro: a Casa de Nossa História”, “Os Inovadores: Gustavo Capanema, Carlos Drummond de Andrade, Oscar Niemeyer e Petrônio Cortella” e “Ação Cultural do Governo em Minas”.

Nascido na zona rural de Angical, no Piauí, filho de lavradores, nunca esqueceu suas origens. Todos os anos, voltava para rever amigos e parentes. E entrava de casa em casa, cumprimentando a todos. Cresci com o sorriso atencioso e maroto deste meu tio emprestado, graças a meu pai. A sua irmã, minha Tia Heloisa casou-se com Walter Haddad, irmão de Tia Latife, esposa do ex-senador. Há 19 anos, eu conheci e me casei com Tatyana Rubim, natural de Teresina. E com ela tive 3 filhas, meio mineiras e meio piauienses. O Piauí, portanto, de citação, passou a ser ponto de referência na minha vida. Mais um elo que nos ligava, e ele correspondia, com carinho e muitas histórias engraçadas. E como esquecer do “Jantar Árabe”, onde as irmãs Haddad trabalhavam durante todo o ano em prol da Creche Menino Jesus? Como esquecer de Francelino e Dona Latife recebendo todos, na porta, com toda a gentileza do mundo?

Mas a Cultura sempre foi o alvo deste político. No Senado, requereu a instação de uma subcomissão para debater a crise do cinema brasileiro, em 1999, que culminou à criação da Subcomissão Permanente do Cinema, da qual foi relator. Tinha um sonho, dito e redito durante parte da sua vida: transforma a Praça da Liberdade, cheia de Secretarias, em um grande espaço cultural. E foi dele a ideia, em 1997, da Comissão para estudar a instalação do então nominado “Espaço Cultural da Liberdade”. O pré-projeto, concebido pelos arquitetos Luiz Márcio Pereira e Celina Borges, foi entregue ao Governador Eduardo Azeredo, e ao prefeito Célio de Castro, no dia do centenário de Belo Horizonte. Seu sonho está materializado, hoje.

O lugar onde ele se sentia melhor, nos últimos anos, era a Academia Mineira de Letras. Repito, e esculpo na lápide da minha imaginação: Francelino Pereira: aqui jaz um leitor. Obrigado por ter nos dado tanto, durante tanto tempo, Tio França. Vai com Deus.

Pequena Biografia:

Oitavo e último filho de Venâncio Pereira dos Santos e de Maria Ana de Sousa, lavradores e criadores de reses e caprinos, Francelino Pereira nasceu na zona rural de Angical, na pequena propriedade de 50 hectares, pertencente a seus pais.

Francelino iniciou os estudos primários em Angical – PI, com professores leigos, concluindo-os no Ateneu Rui Barbosa, na cidade de Amarante, então sede do município. Fez o curso ginasial no Liceu Piauiense (1938 – 1942). Em 1943, cursou o 1º semestre do 2º ano clássico no Colégio São João, em Fortaleza-CE, e o 2º semestre em Teresina, no Liceu Piauiense. Concluiu o curso clássico no Colégio Afonso Arinos, em Belo Horizonte – MG, para onde mudou-se em Fevereiro de 1944. Aí também fez o curso superior na Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais (UMG), hoje Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), bacharelando-se em 1949 (turma Rui Barbosa, em homenagem ao maior jurista do País).

Bacharelado em Direito, Francelino iniciou o exercício da advocacia em Belo Horizonte, no Fórum Lafayete, na rua Goiás. Tornou-se redator político da Rádio Inconfidência,  emissora oficial do governo mineiro, e elegeu-se vereador, na legenda da UDN, à Câmara Municipal de Belo Horizonte para o período de 1951-1954, na gestão do Prefeito Américo René Gianetti.

Exerceu intensa atividade política nos quadros da União Democrática Nacional (UDN), militando na sede do partido e mantendo estreita relação com as lideranças regionais e municipais do Estado.

Elegeu-se Deputado Federal por quatro mandatos consecutivos (1963-1979). Tornou-se uma liderança de forte atuação em Minas Gerais, com participação nos debates e nas decisões do Congresso Nacional.

Francelino Pereira assumiu o Governo de Minas em 1979 estimulando as equipes técnicas de seu Governo para que tratassem o desenvolvimento como um processo de ativação e canalização das forças sociais de Minas, e não apenas como exercício tecnocrático de especialistas bem capacitados. Lembrava, com freqüência, as palavras sábias de Guimarães Rosa: “Uma coisa é por idéias arranjadas; outra é lidar com país de pessoas, de carne e sangue, de mil-e-tantas misérias… De sorte que carece de se escolher”.

Francelino Pereira foi um dos idealizadores e, na condição de Governador de Minas, construtor do Aeroporto Internacional de Confins. Ao deixar o Governo de Minas, Francelino foi convidado pelo Presidente da República para o cargo de Presidente da Companhia de Aços Especiais Itabira (ACESITA), no qual tomou posse em 04 de outubro de 1983.

Em 1990 assumiu a presidência do Diretório Regional do PFL em Minas Gerais, estabeleceu novas diretrizes básicas em consonância com a direção nacional do Partido e reorganizou suas bases em preparação para as eleições de 1994.

leito senador por Minas Gerais, em 1994, para o mandato 1995-2003, tornou-se membro titular da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, e da Comissão de Assuntos Econômicos, e membro suplente da Comissão de Educação e da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle.

Em 1999, requereu a instalação e presidiu uma Subcomissão especial temporária para debater e encontrar soluções para a crise do cinema brasileiro, iniciativa que levou, no ano seguinte, à criação da Subcomissão Permanente do Cinema, Comunicação Social e Informática, da qual foi membro titular e relator.

Após a conclusão de seu mandato de Senador da República, em 31 de janeiro de 2003, passou a integrar o Conselho de Administração da Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG), e a presidir honorariamente a Comissão Especial de Estudos do Centro Cultural da Praça da Liberdade. Espaço Cultural da Liberdade

Inspirado pelo centenário de Belo Horizonte, em dezembro de 1997, e motivado pelo sucesso do Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro (CCBB), para ele uma das realizações mais gratificantes de sua vida pública, o então Senador Francelino Pereira propôs um projeto arrojado para a capital mineira: a criação do Espaço Cultural da Liberdade. O pré-projeto, criado pelos arquitetos Luiz Márcio Pereira e Celina Borges, esta professora da Escola de Arquitetura da UFMG, foi entregue ao então Governador do Estado, Eduardo Azeredo, e ao então prefeito de Belo Horizonte, Célio de Castro, no dia do centenário de Belo Horizonte. Atualmente Francelino Pereira ocupa a cadeira n° 25 da Academia Mineira de Letras.

Uncategorized

MondoLivro Visualizar tudo →

Literatura em Todos os Sentidos, por Afonso Borges

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: